fbpx

Blog

paperSmily1

Da cultura para publicidade: a atração do projeto transmídia

Após conhecer um pouco mais sobre storytelling você deve ter se perguntado como destacar sua narrativa acima das da concorrência. Além dos recursos de discurso, devemos olhar para as novas técnicas que a tecnologia e a vida digital trouxeram para o mundo da comunicação. Agora identifique-as, misture-as, faça um grande mix com todas elas e imagine sua história inserida nesse mix. Não entendeu? Bom, fique tranquilo, pois é isso que vamos explicar nesse post. O conceito de hoje, que pode alavancar a campanha da sua marca, é o de transmídia.

 Basicamente, o termo transmídia refere-se às narrativas que se distribuem ou se fragmentam em diferentes mídias, sem necessariamente serem dependentes uma da outra. Exemplificando, seria uma realização em um formato de mídia que se expande para outras plataformas, assim, tornando-se mais atraente ao público, abrangendo um maior número de nichos e permitindo/estimulando a interação e engajamento dos receptores.

 Essa realização parte de utilizar ao máximo as ferramentas de cada plataforma, criando novos formatos de narrativa que irão se conectar de forma não linear, e irão oferecer ao cliente uma experiência diferenciada. Talvez, como exemplo, o conteúdo criado para ser transmitido em um comercial televisivo, interligue-se a uma sequência de vídeos, alguns stories no Instagram, uma ação em um local público (como um shopping ou uma praça), um game simples de obstáculo, e assim por diante.

 Esse é o objetivo, expandir os horizontes do conteúdo, apresentá-lo com diferentes olhos e composições, sempre seguindo uma linha de pensamento. Mas fique atento, não confunda esse tipo de produção com produção multimídia. São dois conceitos diferentes. Enquanto o projeto multimídia, na publicidade, refere-se a uma única narrativa que se reproduz em diferentes mídias, a transmídia refere-se a diferentes construções narrativas apresentadas em diferentes plataformas que podem ou não se complementar, ou complementar uma narrativa inicial (como uma narrativa-mãe).

Cultura da Convergência 

 Essa proposta é algo ainda bastante recente, e poucos estudiosos abordam essa temática. Todavia, um dos primeiros a apresentar esse conceito foi o famoso e renomado pesquisador de mídia Henry Jenkins. Em seu livro Cultura da Convergência (2006), ela abrange múltiplas temáticas que envolvem cultura, mídia, tecnologia e sociedade, no desenvolvimento de diferentes conceitos dentre e na conexão destes âmbitos.

Inspiração  

 Se está a procura de exemplos mais concretos de como ocorre na prática o conceito de transmídia, indicamos fugir do mundo da publicidade e ir direto na fonte criadora deste formato de produção: as produções cinematográficas e os seriados de TV. Eles são grandes exemplos não somente de transmídia como também de storytelling, portanto, a partir de hoje, olhe essas artes não somente como entretenimento e lazer, mas também, como grandes fontes de aprendizagem e criatividade.

 Foi a trilogia Matrix (1999-2003) um dos grandes precursores deste formato na era digital, e dali em diante vários outros filmes e séries seguiram os mesmos passos. Sendo os principais, os enredos que seguem os gêneros de fantasia, ficção-científica, terror e ação, indicamos alguns nomes para dar uma pesquisada e ficar de olho:

Compartilhe